quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Comandante da GCM discute estratégias de segurança com a comunidade da USP

O evento promovido anualmente para discutir modelos de segurança e formas de atuação das polícias nos campi da USP ocorreu na manhã desta quinta-feira, 20/08, na Cidade Universitária. Criado pelo Centro Acadêmico Visconde de Cairu, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, o fórum foi instituído em 2011, após o assassinato de um aluno durante tentativa de assalto.

Às vésperas da implantação de uma nova modalidade de policiamento no campus da capital, inspirada em experiências japonesas, alunos, a pesquisadora do Núcleo de Estudos da Violência da USP, Viviane Cubas e o superintendente de segurança da Universidade, Prof. Dr. José Antonio Visintin reuniram-se com o comandante geral da GCM, Inspetor Gilson Menezes, para discutirem experiências de policiamento comunitário.

Desenvolvido pela Guarda Civil Metropolitana desde sua criação, em 1986, esse tipo de trabalho que busca um contato permanente com a comunidade chamou a atenção dos organizadores do encontro. “Resolvemos convidar o comandante da GCM, pois o modelo japonês que se pretende instalar na USP parece apresentar uma série de semelhanças com o trabalho que já é feito pela GCM e queremos conhecê-lo mais de perto”, disse o representante dos alunos da Faculdade de Economia, Victor Vaccaro.

A ação batizada de “USP Segura” pretende aliar o trabalho de aproximadamente 100 policiais militares com a Guarda Universitária, que será responsável, principalmente, pelo monitoramento com câmeras na Universidade.

Para o comandante geral da GCM, é perfeitamente possível que a polícia se adapte à realidade da USP. “Assim como fazemos em nossa atuação nas unidades escolares da rede municipal de ensino, é preciso que se respeite o papel institucional da universidade, com sua autonomia administrativa e liberdade na tomada de decisões, por outro lado, não pode haver interferências da USP na atuação operacional dos policiais”, afirmou o comandante.

Segundo o superintendente de segurança, prof. Visintin, esse trabalho integrado será acompanhado pelo Núcleo de Direitos Humanos da USP, que reúne alunos, professores e funcionários.



Câmara aprova em segundo turno redução da maioridade penal

© Fornecido por Estadão
Plenário da Câmara dos Deputados
BRASÍLIA - O plenário da Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira, 19, em segunda votação, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que reduz a maioridade penal de 18 para 16 anos para crimes hediondos, homicídio doloso (com intenção de matar) e lesão corporal seguida de morte. O tema, que tramitava há 22 anos na Casa, segue agora para o Senado.

O PT promete voltar ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o trâmite da PEC na Casa. "Vou pedir ao Supremo para apreciar nosso mandado de segurança. A votação foi totalmente inconstitucional e antirregimental. Todas as regras foram violadas", afirmou o vice-líder petista Alessandro Molon (RJ).

Na votação em primeiro turno foram 323 votos a favor, 155 contra a redução da maioridade e duas abstenções. Hoje foram 320 a favor, 152 contra e uma abstenção. Por se tratar de mudança na Constituição, a proposta precisava ser votada em segundo turno e necessita de 308 votos para o texto ser mantido. 

A votação rachou o plenário. Alegando que jovens menores de 18 anos hoje têm "licença para matar", que Casas de atendimento a menores já são presídios e citando crimes que chocaram o País, votaram favoravelmente à redução PMDB, PSDB, PRB, PR, PSD, PTB, DEM e Solidariedade. "Hoje estamos aqui para fazer história. Estamos ouvindo a voz da sociedade. O Brasil quer a redução da maioridade penal, a sociedade não quer mais perder seus filhos para a violência", pregou a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ).

A liderança do governo, PT, PSB, PDT, PCdoB, PROS, PPS, PV e PSOL orientaram voto contra a PEC. "O que nós estamos fazendo não vai resolver a violência. Quem mata no Brasil é o adulto. O jovem pode se recuperar", apelou o peemedebista Darcício Perondi (PMDB-RS), que votou na contramão de seu partido.

Pedalada regimental. Em julho, uma manobra apelidada pelos deputados governistas de "pedalada regimental" viabilizou a votação do tema duas vezes. Deputados governistas acusaram Cunha de golpe e recorreram ao STF. Na ocasião, o ministro Celso de Mello disse não ver argumentos jurídicos para suspender a tramitação da PEC porque a aprovação da proposta dependia ainda da votação em segundo turno. O ministro afirmou, no entanto, que sua decisão não impedia que um novo questionamento fosse feito no futuro.

Em nota divulgada antes do início da votação, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, reiterou sua posição contrária à PEC e destacou que a medida não vai diminuir a criminalidade. "A redução da maioridade penal é para nós algo insustentável. Caso isso seja aprovado nós teremos um erro jurídico, um erro do ponto de vista dos estudos científicos e um colapso no sistema prisional. Estaremos gerando mais violência e ferindo a nossa Constituição. Não podemos ser favoráveis a uma medida que trará enorme dano à segurança pública de todos os brasileiros", afirmou o ministro.

O governo alega que a medida impacta negativamente as contas da União, podendo gerar um gasto anual de R$ 2,3 bilhões porque será necessário ampliar as unidades prisionais para manter aproximadamente 40 mil adolescentes presos por ano.

"Não há como construir presídios para atender a essa demanda. E, ao invés de gastarmos bem, que é investir unidades onde se busque a ressocialização, estaremos gastando em presídios de adultos de onde dificilmente esses jovens serão recuperados", insistiu o ministro em nota. 

O Ministério defendeu mudanças no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), como ampliação no tempo de internação dos infratores para crimes hediondos.

A partir de qual idade uma pessoa é capaz de responder criminalmente por seus atos? O Brasil estuda baixar de 18 para 16 anos o limite para que adolescentes sejam julgados como adultos.


Fonte: msn.com


sábado, 15 de agosto de 2015

Localização de Entorpecente pelo Parque Augusta

Em data de 06/08/15 por volta das 08; 34 minutos a equipe composta pelo 1ª Classe Cataldo, 2ª Classe Vanessa e a 2ª Classe Ana Paschoino, estando no policiamento pelo Parque Augusta Sito a Rua Marques de Paranaguá esquina com Rua Augusta, Região da Consolação área central de São Paulo, o qual após efetuarmos a respectiva abertura do presente parque, como é de costume foi iniciado a respectiva varredura a fim de verificar o presente local, sendo que tal medida se faz necessário diante do presente local ser utilizado por usuários de entorpecente, onde ao chegar num ponto isolado do parque foi constatado que junto ao pé de uma árvore existia uma sacola plástica e esta estava escondida debaixo der alguns blocos de concreto e ao verificar foi localizado 30 trouxinhas de maconha sendo todas envolvidas com papel alumínio.

Diante deste fato o respectivo material foi apresentado junto ao plantão do 4º Distrito policial que por sinal fica defronte ao presente parque e a menos de 50 metros, o qual a equipe foi recepcionada pelo Dr. Demetrius Coelho Batista que após tomar conhecimento do fato determinou a respectiva lavratura do Boletim de Ocorrência n° 3206/2015 com natureza de Localização e apreensão de material entorpecente sendo este e material para exame toxicológico com lacre n° A 1140139, e tendo como peso cerca der 180 gramas de maconha.

Cabe ressaltar que a Guarda Civil Metropolitana vem intensificando o trabalho a fim de coibir e inibir o uso e tráfico de entorpecente no presente parque em questão.


Ocorrência enviada pelo 1ª Classe Ricardo Cataldo

segunda-feira, 15 de junho de 2015

GCMs da IOPE prendem criminoso armado pela Nova Luz


Na data de 09/06, ao realizarem o serviço pela DEAC (diária especial de atividade complementar), os GCMs Tharssio e Luciano, da Inspetoria de Operações Especiais lograram êxito em deter um criminoso que portava uma pistola em sua cintura, conduzindo-o ao 77º DP para que a autoridade policial adotasse as providências cabíveis.



Ocorrência enviada pelo GCM Tharssio

Ocorrências da Inspetoria de Operações Especiais - IOPE


VTR G-4169 CD Aldrin; GCMs Cristiano, Greicke Anselmo.
Sábado, dia23/05 - Área do Comando Geral da GCM.


Ocorrência dos GCMs Delfino e Leandro (Tráfico de drogas).

Ocorrência de roubo de celular (GCMs Fernando, Luciano, Michael).


video



domingo, 14 de junho de 2015

Ocorrência de Tráfico de Entorpecente - IR Consolação/Pacaembu

No último dia 05/06/2015, por volta das 17 h e 40 min a central de monitoramento da gcm/sp, visualizou na Praça Ramos de Azevedo, também conhecida como praça dos gatos, centro de São Paulo, indivíduo em atitude suspeita, na pratica de possível trafico de drogas, onde por diversas vezes consecutivas retirava do meio de plantas rasteiras, substância aparentando ser entorpecente, e entregando a frequentadores deste local. Diante das características do suspeito e do local onde estaria a substância, foi realizado um cerco com varias equipes da GCM, sendo abordadas de uma só vez aproximadamente 30 pessoas, dentre elas, usuários de drogas e o elemento suspeito de nome A.N.J. de 18 anos, que durante a abordagem, foi encontrado em seu poder, cerca de R$ 48,50 trocados, e após perguntado sobre a origem destes valores, o mesmo informou que era proveniente da venda de drogas, mais que não tinha mais drogas consigo. Verificado junto ao monitoramento sobre o local, nos foi indicado com mais detalhes, e localizado 22 porções de substancia que após exame específico no IC, foi constatado ser maconha. Durante a prisão do suspeito, apontou outro elemento de nome C.S.O. de nacionalidade nigeriana de 24 anos, como autor do mesmo crime, que também foi encaminhado ao d.p., onde o DR. ANTONIO JOSE CARVALHO THOMAZ, ratificou a voz de prisão, elaborando o B.O.nº 3239 de tráfico, tipificado na lei 11.343 artigo 33, recolhendo os elementos a carceragem do distrito.

EQUIPE: VTR C.4151 
ENCARREGADO: GCM 1ª Cl. DORIVAL
MOTORISTA:       GCM 2ª Cl. EDER

 APOIO: 
 EQUIPES DA IR-CP

 EQUIPES DE BIKES DA IR-AP

Ocorrência enviada pelo GCM 1ª Classe Dorival

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Motocilistas do IOPE realizam parto no centro de São Paulo


Motociclistas Daniel Luiz e Damião da inspetoria de operações especiais em patrulhamento pelo centro de São Paulo foram solicitados por munícipes para atender a uma gestante moradora de um prédio ocupado por um movimento de moradia a qual estava aguardando o resgate e ao chegar no local avaliaram a situação e de pronto decidiram agir e fazer o parto no local devido não haver  mais tempo logrando êxito na ocorrência, também apoiou a esta ocorrencia o classe distinta Ferreira.

video




Ocorrência enviada pelo GCM Daniel Luiz

domingo, 22 de março de 2015

Confraria de Notícias entrevista o Vereador Ari Friedenbach (Completa)

22/03/15 - Confraria de Notícias: Na manhã da última sexta (20) a Confraria de Notícias - através de Dennis Guerra e Adriano Duarte - esteve com o Vereador Ari Friedenbach em seu gabinete para uma entrevista em vídeo. Assista agora a entrevista completa. Confraria de Notícias - O outro lado da Informação!





Adriano Duarte, Vereador Ari Friedenbach e Dennis Guerra
Fotos: Renata Guazzelli




Apoio



quarta-feira, 4 de março de 2015

Equipe do IOPE faz foragido da justiça retornar para a cadeia

Em abordagem ao indivíduo pela praça Alfredo Issa, o mesmo não possuía documentos e seus dados não foram localizados pela CETEL. Encaminhado ao 3º DP, foi constatado que se tratava de foragido de Pinheiros I pelo crime de art. 33. (tráfico de entorpecente).



Equipe IOPE G 4180:

Enc. CD Vladimir 
Mot. GCM Macedo 
1º aux. GCM Gomes
2º aux. GCMF Diniz




Ocorrência enviada pela equipe da VTR G 4180 - IOPE



Palestra - Saiba tudo sobre a PEC 534/2002 - Assembléia Legislativa de SP - 04/03/2015

PALESTRA

SAIBA TUDO SOBRE A PEC 534/2002  E FAÇA SUA PARTE.

PALESTRANTE - ELIEL MIRANDA CIDADE SANTA BARBARA 


DATA - 04 DE MARÇO DE 2015

HORÁRIO DAS 9 h  AS  12 h

LOCAL - ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DE SP -

AUDITÓRIO -  PAULO KOBAYASHI



FRENTE PARLAMENTAR EM DEFESA DAS GUARDAS MUNICIPAIS
PRESIDENTE - DEPUTADO CHICO SARDELLI



Enviado pelo GCM Carlinhos Silva

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

GCMs da DEAC da Inspetoria de Operações Especiais prendem criminoso que roubava na Rua Mauá

Estando de serviço na diária especial de atividade complementar (DEAC) em 26/02, os GCMs da Inspetoria de Operações Especiais (IOPE), foram solicitados pela vítima, teve seus pertences roubados na Rua Mauá. Efetuada ronda a pé, a equipe logou êxito em deter os dois indivíduos no interior do hotel na Rua dos Protestantes, próximo ao comando geral da GCM. Encaminhados ao 3º DP, onde surgiram mais 2 vítimas, totalizando 3 vítimas em situações diferentes, onde a arma utilizada era uma faca de aproximadamente 25 cm.

Todas as vítimas reconheceram a dupla e a arma do crime.

Equipe IOPE (DEAC) 

VTR P 70352: Albuquerque, Daniel, Russomano, Batista, Leonis, Emanuel e Abreu.




Ocorrência enviada pelo GCM Russomano (IOPE)

IOPE: Ocorrência de Roubo pela Praça Julio Prestes


Em 25/02, ao efetuar rondas pela Região da Nova Luz, a equipe da Inspetoria de Operações Especiais foi solicitada por munícipe que havia sido roubado, tendo o seu celular subtraído. Em diligências, a equipe logou êxito em realizar a prisão do criminoso pela Praça Julio Prestes, sendo encaminhado ao 77º DP, onde a autoridade policial ratificou a voz de prisão, determinando a elaboração do B.O. nº 786/2015, de natureza roubo.


Equipe IOPE VTR G-4031:

Enc. GCM Parreira
Mot. GCM Crispim
Aux. GCM Lindemberg





Ocorrência enviada pelo GCM Parreira (IOPE)

Comunicado 64/2015 - Vagas para o Canil

Assessoria de Imprensa e Comunicação


COMUNICADO - 64/2015


VAGAS PARA O CANIL


O Comando Regional da IR/MG-CANIL, informa ao efetivo composto por GCM's e GCMF's de 2ª classe, que estão abertas as inscrições para a seleção de novos integrantes para o CANIL da Guarda Civil Metropolitana.

Os interessados deverão encaminhar até o dia 06/03/2015, e-mail diretamente ao Inspetor Celso Vitale (cvitale@prefeitura.sp.gov.br <mailto:cvitale@prefeitura.sp.gov.br> ) Comandante Regional IR-MG/CANIL. 


São requisitos:

- Não possuir restrição física ou psicológica;

- Possuir autocontrole para agir em situações de crise, sob comando;

- Ter aptidão física para atuação em controle de distúrbios civis;

- Ser assíduo e pontual;

- Possuir vida funcional ilibada;

- Ter afinidade no trato de cães

- Ter disponibilidade para mudanças repentinas de horários, bem como para extrapolação do turno habitual de serviço.

- Preferencialmente, ser credenciado na função de motorista;

- Deverá o candidato, no corpo do texto, indicar unidade de lotação e horário de trabalho, cursos e experiências adquiridas com animais, em especial cães.

Será feita uma pesquisa da vida funcional, entrevista e teste de aptidão para que os selecionados, inicialmente, desempenhem suas funções de acordo com o Artigo 10 da Portaria 02/GCM/2005:

"Artigo 10 - Serão consideradas a título de especificidade e habilitação técnicas no desempenho das atividades da Inspetoria do Canil, as seguintes funções:

II. Operacional;

b) A função operacional será reconhecida como a participação intensiva nos procedimentos de rotina operacional e de manutenção da Unidade e de todos os seus equipamentos;"


Fonte: Assessoria de Imprensa e Comunicação

Enviado pelo GCM Freire (IR MG-Canil)

Ocorrências do Canil‏ (GCM/SP)


Na data de 14/02 as Guarnições de Canil foram solicitadas por uma vitima de furto que teve o seu celular subtraído por um ciclista, onde diante do breve relato dos fatos e de posse das características do infrator deram inicio as diligências com o objetivo de capturar o infrator.
Tentando ludibriar as equipes da Guarda Civil o autor passou o produto do furto a um segundo participante, que ao perceber que não conseguiria fugir tentou dispensar o aparelho na escadaria do vale do Anhangabaú, onde estavam dois maiores, sendo o mesmo foi recuperado e os infratores detidos.

Conduzidos todos ao 2º Distrito Policial, foi lavrado o BO 904/2015 de natureza ato infracional / furto e elaborado auto de exibição e apreensão do celular e da bicicleta, onde a Autoridade Policial ratificou a prisão e encaminhou os adolescentes a Fundação Casa e os dois maiores, com passagens por roubo e tráfico, ficaram detidos para averiguação.

Equipes compostas pelo CD Carvalho, GCM Badio e cão Barah e outra pelos GCM´s Marcelo, Rubens e cão Sadam.


Em 15/02, a Guarnição de Canil composta pelos GCM Jovanete, Lucas e cão Troy, observaram uma movimentação anormal próximo a praça da república, onde de imediato se aproximaram do local e uma comerciante se aproximou e relatou te sido agredida por um transeunte.

De imediato a equipe logrou êxito em deter o estrangeiro Paulo Javier Castillo, que estava de posse de uma faca, que segundo a vitima, havia utilizado para agredir outras pessoas não identificadas.

Conduzidos ao 2º Distrito Policial, foi lavrado o BO 924/2015 de natureza lesão corporal, e feito junto a Policial Federal a identificação do autor por se tratar de nacional argentino.
As Equipe do Canil estão diariamente em apoio a Inspetoria de Operações Especiais, realizando patrulhamento em regiões da Subprefeitura Sé visando através do Policiamento com Cães, garantir a população a utilização adequada dos espaços públicos.

Em todos os momentos as equipes de área compareceram prontamente as ocorrências, sendo de fundamental importância a integração entre todos os Guardas Civis das diversas Unidades.


Ocorrências enviadas pelo GCM Freire (IR MG-Canil)

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

GCMs da Inspetoria de Operações Especiais - IOPE prendem criminoso com duas armas que praticava roubo

Na data de hoje (24/02), as equipes da IOPE (Inspetoria de Operações Especiais) de serviço pela Praça do Patriarca (Othon) lograram êxito em deter um criminoso com duas armas e produtos do crime, provenientes de uma "saidinha de banco". Ocorrência apresentada pelo 01º DP. Após, irradiadas via cetel as características de três indivíduos que efetuaram o roubo, GCM da VTR G-4127 e G-4180 localizaram um indivíduo e em busca pessoal foi localizado um revólver 38 na cintura e na mochila outro revólver 38, relógio avaliado em R$ 5000,00 (Invicta), iphone 6 e R$2520,00 em dinheiro. Ocorrência apresentada pelos GCMs Magnus e Anselmo.


GCMS Anselmo, Delfino, Carlos, Magnus, Daniela e Cristiano




Ocorrência enviada pelo GCM Anselmo (IOPE)

Comemoração do 12º aniversario da Ação Comunitária Criança Sob Nossa Guarda - 1º Natal fora de época

O evento será o “Natal fora de Época” onde a Ação Comunitária Criança Sob Nossa Guarda estará recebendo 40 crianças e adolescentes dos Abrigos Vovó Matilde e Vovó Cecília, crianças e adolescentes sob proteção judicial, todos vizinhos ao parque, onde as crianças e os adolescentes serão apadrinhados por guardas civis metropolitanos que presentearão as mesmas e com isso terão um dia de paz e alegria. Neste evento haverá a participação de autoridades, da Banda da Guarda Civil Metropolitana e principalmente a presença de dois papais noeis que chegarão de trenó.

Esse evento faz parte das comemorações do 12º aniversario da Ação Comunitária Criança Sob Nossa Guarda.

Além dos integrantes do CFSU com a Turma do Chaves que nos ajudarão a abrilhantar ainda mais nosso evento.

Local: Espaço Educacional GCM/Parque do Carmo, situado na Av. Afonso Sampaio e Souza, 951

Data: 21 de março (sábado)

Horário: 10:00hs.


Enviado pelo GCM 1ª Classe Dorival

A inércia do Conselho Nacional das Guardas Municipais e dos Guardas Municipais

23/02/15 - Onde vamos parar? Parar (de parado) já estamos faz é tempo... muito tempo! Para onde é que vamos? Essa é a pergunta? E eu sei a resposta... para o fundo do poço. Com um conselho deste, inerte, inoperante, sem voz ativa, sem estar presente nas mais importantes reuniões em Brasília para tratar dos nossos assuntos e das nossas 


aflições  estamos perdidos, pessoas que deveriam estar imbuídas em o fazer seu trabalho na nossa defesa, nos esqueceram deve estar preocupados em outros assuntos que não guardas municipais, seria vender cursinhos para as GMs?

Ou a parte política que só interessa? Não sabemos nada, absolutamente nada deste conselho, o que fazem ou no que trabalham... nada! Após mudanças estatutárias, os mais interessados, que são os Guardas Municipais que se deslocam de diversas partes do país, do Oiapoque ao Chuí, para os congressos, tiveram seu maior direito aviltado, cerceado, roubado... (pois, votar é um direito) e digo mais, não podem votar, nem serem votados, exceto se forem comandantes, como todos sabem que, mais de 80 % das Guardas do Brasil são comandadas por oficiais das Policias Militares. Estamos sem representação, isso mesmo não temos ninguém que possa nos defender de qualquer problema. 

Estamos de mãos e pés amarrados. 

A FENEME não tem representatividade e vive nos nossos calcanhares e nós temos um órgão que representa as guardas do todo o Brasil e fica inerte, parado e calado, esperando a ADI 5156 nos derrubar. É o caos!    

Temos que mudar esse quadro imediatamente

Vamos fazer abaixo assinados, pedindo: 
  • Imediata dissolução da diretoria e eleições já! (Pela internet);
  • Reformulação de um estatuto sério e comprometido com as guardas municipais e as eleições;
  • Participação nas eleições de todos os componentes das guardas municipais, desde a menor patente até a maior;
  • Instituição de contribuição simbólica e voluntária de R$ 1,00 Real por mês de todos os guardas do Brasil para gerir as ações em nossa defesa;
  • Todas as contas na internet para todos verem a gestão e fazer tê-los iniciativa em nossa defesa.


Vamos mudar esse quadro de inercia e comodismo para trabalharem em prol das guardas municipais e seus integrantes, sejamos pró ativos, pois de inertes e inoperantes não temos nada! Vamos gritar aos quatro cantos desse Brasil que estamos vivos e lutaremos até o fim!

Ao fazer os abaixo assinados coloquem: Nome da instituição, a petição acima, espaço para o nome completo, RG. e assinatura. Tirem cópias das folhas em branco e disseminem para todos os efetivos de todas as guardas (após isto enviarei um endereço para a postagem). Vamos colher o máximo de assinaturas e destituir esse conselho, que nem para nos aconselhar serve!

Para assinar a Petição Pública On Line  


Diante da inércia, incompetência, descaso e prevaricação do Conselho Nacional das Guardas Municipais do Brasil, solicito o apoio de todos os agentes das centenas de Guardas Municipais do Brasil para reunirmos 1.000.000 de assinaturas e solicitarmos uma intervenção e auditoria do Ministério Público Federal nesta entidade que com sua omissão e incompetência colocou toda uma categoria, composta por milhares de agentes operadores da Segurança Pública em risco. Clique AQUI e saiba mais!



Mude sua fanpage (facebook) para Fora Conselho Nacional das Guardas - Vocês não me representam!

Não lute por eles. Lute por você, pois a FENEME está lutando pelos seus - pense nisso!

Ok, ok...não quer fazer nada?! Esta bom do jeito que está?! Depois não reclame. Não atrapalhando já ajuda muito!

Deixe a FENEME e outros que querem nos derrubar nadarem de braçada!

Vá aos congressos, coma bastante nos coffee breaks, e tire muitas fotinhas para o seu facebook. Nesse dias vá para a balada, conheça o lugar... Não traga nada de lá: nenhuma ata, convenção ou carta de intenções. Assim, você estará se divertindo e a sua vida profissional indo para o buraco!

É isso aí!

Matéria extraída do Blog O Cão de Guarda Notícias

Atirando no céu – Um pouco sobre a física do tiro para o alto



Nós frequentemente recebemos perguntas sobre atirar verticalmente para o ar. A pergunta mais frequente é: “Os projeteis disparados para o alto vão retornar para a terra na mesma velocidade em que eles saíram da arma?”. Outras perguntas são: “Quão longe um projétil pode viajar quando disparado verticalmente e quanto tempo leva para que ele volte?” ou “O projétil caindo tem energia suficiente para ser letal se acertar alguém no chão?”

Algumas pessoas já tentaram atirar verticalmente, mas poucas delas tiveram a sorte de ouvir o projétil voltar e bater no chão. Quando uma munição é disparada verticalmente ela imediatamente começa a perder velocidade por causa dos efeitos da gravidade e da resistência do ar no projétil. A desaceleração do projétil continua até que em algum ponto a bala para momentaneamente e então começa a cair em direção ao solo. Um projétil bem balanceado vai cair com a base para baixo, mas dependendo do desenho da bala, ela pode girar ou pode virar e cair com a ponta para baixo.

A velocidade da bala vai aumentar até que atinja a velocidade terminal. O projétil atinge a velocidade terminal quando a resistência do ar iguala a força da gravidade ou, dizendo de outra forma, o peso da bala e a resistência do ar ficam equilibrados. Quando essa velocidade é atingida a velocidade de queda para de aumentar.

Em 1920 o exército americano conduziu uma série de experimentos para tentar determinar a velocidade de projéteis em queda. Os testes foram feitos em uma plataforma no meio de um lago próximo de Miami, na Flórida. A plataforma tinha 3 metros quadrados de área e uma fina camada de chapas metálicas que foram colocadas acima do homem operando a arma. A arma foi fixada em um suporte que permitia ajustar da direção dos tiros para que caíssem próximos da plataforma. E foi ajustada para que o som das balas que caem pudesse ser ouvido quando ela acertasse a água ou a plataforma.

Eles atiraram balas de calibre .30, 150 grains com ponta Spitzer, com velocidade de 2.700 FPS (Pés por segundo, aproximadamente 823 metros por segundo, ou 2.963 km/h). Usando o coeficiente balístico do projétil e o tempo decorrido desde o disparo da arma até o impacto do projétil com a água, eles calcularam que a bala viajou 9000 pés (2,7 km) em 18 segundos e caiu no solo em 31 segundos, portanto tempo total de 49 segundos.

Como comparação, o calibre .30 disparado no vácuo a 2700 FPS iria subir perto de 34,5 km e iria precisar de 84 segundos para subir e outros 84 segundos para descer. Ele iria retornar na mesma velocidade em que saiu da arma. Isso nos dá uma ideia do que a resistência do ar faz com o projétil durante o voo.

O vento pode ter um enorme influência sobre onde o projétil disparado verticalmente vai cair. Um vento de 8 km/h vai deslocar a bala de 150 grains mais ou menos 111 metros, baseado no tempo que leva para a bala viajar para o solo. Além disso, o vento no nível do solo pode estar soprando de uma forma completamente diferente do que a 9000 pés. Por isso não surpreende o fato de ser tão difícil determinar com precisão onde um projétil em queda vai cair.

Mais de 500 disparos foram feitos na plataforma de testes, e apenas 4 balas acertaram a plataforma e uma caiu no barco próximo a plataforma. Os demais caíram na água do lago. Uma das balas que acertou a plataforma deixou uma marca com 1,5 mm em uma chapa de madeira macia. O projétil acertou com a base primeiro.


Baseado nos resultados destes testes foi concluído que um projétil em queda livre retorna com velocidade aproximada de 300 FPS (91 m/s ou 329 km/h). Para um projétil de 150 grains, isso corresponde a energia de 30 “foot pounds” (40 joules). Anterior a isso o exército já havia determinado que, em média, é necessário 60 foot pounds (81 joules) para produzir um ferimento incapacitante. Baseado nesta informação, um projétil de 150 grains em queda não seria letal, no entanto, poderia causar um ferimento grave.

Muitos outros experimentos foram feitos para determinar a resistência do ar em um projétil no calibre .30 a diversas velocidades e descobriram que a velocidade terminal do projétil de 150 grains era de 320 FPS (97 m/s, 350 km/h). Para calibres maiores a velocidade terminal é maior já que o peso do projétil é maior em relação ao seu diâmetro. O Major Julian Hatcher em seu livro “Hatcher’s Notebook” estima que uma ogiva de 12 polegadas (30cm) de diâmetro pesando 1000 libras (453 kg) e disparada diretamente para cima vai retornar com uma velocidade de 1300 a 1400 FPS e mais de 28 milhões de foot pounds (38 Megajoules) de energia de impacto.

Tradução do artigo “Bullets in the Sky” de LoadAmmo.

Nota do Instituto Defesa: Embora o artigo deixe claro que apenas a física balística é abordada, se faz necessário alertar que disparar arma de fogo – ainda que para o alto – é crime no Brasil. Veja o que diz a lei 10.286/2003:

Art. 15. Disparar arma de fogo ou acionar munição em lugar habitado ou em suas adjacências, em via pública ou em direção a ela, desde que essa conduta não tenha como finalidade a prática de outro crime:

Pena – reclusão, de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa.

Parágrafo único. O crime previsto neste artigo é inafiançável. (Vide Adin 3.112-1)

Atirar para o alto é uma eficiente forma de repelir ameaça, porém ainda assim é crime. É claro que, durante o processo judicial não é difícil apontar um excludente de ilicitude neste caso (legítima defesa). No entanto, atirar para o alto apenas por recreação ou “tiro de comemoração”, em área habitada ou via pública, é crime e é injustificável.



domingo, 22 de fevereiro de 2015

GCMs da DEAC prendrem criminoso por furto de carga na Av. Casper Líbero

Em patrulhamento a pé na Av. Cásper Líbero, em 20/02, a equipe da DEAC (Diária Especial de Atividade Complementar do horário intermediário das 09h às 17h, por volta das 13h 10m foram solicitados pelos funcionários  A.D.F. e F.G. S.,que realizavavam entrega de bebidas no comércio local. Visualizaram o meliante G.M.S. de 50 anos subtraindo do caminho da empresa que as vítimas trabalhavam com bebidas e  seguiram o marginal  e ao avistarem a equipe informaram o ocorrido, sendo o meliante abordado e recuperado o produto do furto. Dada voz de prisão, as partes foram encaminhadas ao 03º DP onde o Dr. Renato Bartelega Velloso ratificou a voz de prisão, elaborando o  B.O 798/2015 de natureza furto de carga tentado, recolhendo o criminoso à carceragem.
Produto recuperado: 24 garrafas de cerveja Caracu long neck, e 24 garrafas de 600 ml de cervejas Original.

Equipe  horário intermediário gcms Dorival (IR-CP) 

Gcm Da Costa (IR-CV)
Gcm Ferraracio (IR-MO)

Apoio:

VTR C-4174 (IR-CP)
Enc. GCM Mikalkenas e equipe

VTR C-4145 (IR-BR)
Enc. GCM Ivan

VTR C-4142 (IOPE) 
Equipe plantão alfa


Ocorrência enviada pelo GCM 1ª Classe Dorival